INVESTIGAÇÕES

Abalada, estudante de Direito Vaniela Oliveira não consegue prestar depoimento à Polícia

Delegada Gleide Ângelo tentou conversar com a jovem durante duas horas, mas não conseguiu devido ao frágil estado emocional

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/06/2015 às 10:33
Leitura:
Foto da delegada Gleide Ângelo, após encontro com a universitária. Foto: Reprodução/ Facebook


A Polícia Civil de Pernambuco vai esperar Vaniela Oliveira Gomes, de 26 anos, se recuperar antes de ouvir a jovem, que ficou desaparecida entre a manhã da quarta-feira (27) e a madrugada do domingo (31). A delegada da Seção de Homicídios e Proteção à Pessoa, Gleide Ângelo, conversou com a estudante de Direito na manhã desta segunda-feira (1º), mas não consegiu extrair informações: "neste momento não vem a verdade, só vem os medos. Não adianta você forçar a pessoa a falar o que ela não tem condições de falar", diz. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

De acordo com a delegada, os exames sexuais e traumatológico realizados pelo Instituto de Medicina Legal (IML) não apontaram nenhum sinal de violência. O resultado do exame toxicológico, que pode apontar a presença de drogas no organismo, ainda não foi divulgado.

A jovem ainda está com estado emocional muito abalado e chora muito. Ela foi acompanhada pela mãe ao DHPP, mas não consegiu prestar depoimento. Ainda não há previsão do novo depoimento, a partir do qual poderá ser feito o inquérito e a reconstituição do percurso realizado pela estudante desde a saída do Fórum de Jaboatão até o momento em que ela foi encontrada, às margens da BR-101, em Prazeres. Esta foi a primeira vez que a delegada Gleide Ângelo falou á imprensa após o resgate da estudante.

Mais Lidas