CPI DA CBF

Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF, é indiciado por quatro crimes

A Polícia Federal indiciou Teixeira por lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsificação de documentos publicos e falsidade ideológica.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/06/2015 às 8:30
Leitura:

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, colocou o Ministério Público à disposição do Senado Federal para colaborar com as investigações da CPI da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que começa a funcionar em meados de junho.

Nessa segunda-feira, a Polícia Federal indiciou o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, pelos crimes de lavagem de dinheiro, evasão de divisas, falsificação de documentos publicos e falsidade ideológica.

Em um dos inquéritos contra Ricardo Teixeira, a PF aponta que o ex-presidente da CBF comprou um apartamento no Rio de Janeiro pagando, à vista, R$ 720 mil. O imóvel custaria R$ 4 milhões, o negócio teria sido feito com um amigo de ricardo.

O Senador Álvaro Dias (PSB-PR), que foi presidente da CPI do futebol há quinze anos, falou sobre o assunto: "Soma-se corrupção com a incompetência de gestão, e o resultado é a decadência absoluta do nosso futebol", disse.

Renan Calheiros, presidente do senado, deu até a quata-feira da semana que vem para que sete senadores efetivos e sete suplentes que farão parte das investigações.

Confira o comentário diário de Romoaldo de Souza, repórter da Rádio Jornal em Brasília, publicado no Redator de Plantão desta terça-feira (2). O programa é transmitido da segunda ao sábado, das 6h às 6h45:

Mais Lidas