OLINDA

Deslizamento de barreira deixa pelo menos 16 pessoas desabrigadas no Córrego do Abacaxi

Três casas estão interditadas após o a queda da barreira. O acidente aconteceu durante a noite e não deixou feridos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/06/2015 às 10:46
Leitura:
O barro invadiu as casas e o deslizamoento pode ter afetado a estrutura dos imóveis. Foto: Lélia Perlim/Rádio Jornal


As chuvas que caíram na Região Metropolitana do Recife, entre da quarta-feira para a quinta-feira (4), por pouco não provocaram uma tragédia. No Córrego do Abacaxi, em Caixa D'Água, Olinda, uma barreira desabou na rua General Sampaio e atingiu três casas onde estavam 16 pessoas. No imóvel mais atingido, tinha sete moradores, entre eles, duas crianças e uma mulher grávida de 9 meses. Ninguém ficou ferido, mas as residências ficaram completamente destruídas.

O morador de uma das residências, Evandro Avelino, conta que estava conversando com a cnhada do lado de fora da casa por volta das 21h quando ouviu estralos na barreira e o morro começou a deslizar. Eles ajudaram a retirar os moradores, entre eles a esposa dele grávida de 9 meses e o filhinho de um ano, e alguns objetos de dentro de casa. O desabemento soterrou três casas e deixou a suspeita de vazamento de gás. "Passamos a noite em claro preocupados com a possibilidade de explosão", diz Evandro.

No moemnto do desabamento, os Bombeiros e a Defesa Civil de Olinda foram acionados e para avaliar a situação. Na manhã desta quinta-feira (4) as corporações voltaram ao local e para diagnosticar quais os riscos que o local ainda apresenta.

De acordo com os bombeiros, será feita a remoção das árvores que correm risco de cair, além da eliminação do bujão de gás. O oficial Operações de Salvamento da Região Metropolitana do Recife, João Paulo Ferreira, o risco foi isolado, mas ainda será feito o processo de eleiminação do botijão pela Defesa Civil, que ficará responsável pela área.

Também por causa do desabamento, um cano de abastecimento de água foi rompido e teve que ser desligado pela Compesa, assim como o desligamento da energia elétrica da área pela Celpe. A Defesa Civil de Olinda interditou as três casas e os moradores estão em casas de parentes e amigos.

A Defesa Civil de Olinda realizou o corte do mato e a limpeza da área em que houve o desababento de terra. De acordo com o coordenador do órgão, Paulo Brito, a presença de canos de abastecimento de água na encosta pode ter agravado o acidente. Ele diz que uma lona plástica será colocada de maneira emergencial para que novos deslizamentos sejam evitados.

Mais Lidas