DEBATE

Boatos e notícias em tempos de redes sociais

Os convidados Silvio Ferreira, José Lopes e Cláudio Marinho participaram do debate sobre o tema nessa quinta-feira (11)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/06/2015 às 15:15
Leitura:

Foto: AFP


Em tempo de redes sociais, alguns boatos podem virar notícia e tomar grandes proporções com muita agilidade. A velocidade das informações é muito rápida e os meios mais acessíveis a todos. E as informações que circulam, algumas vezes, são boatos que acabam tornando-se verdade, podendo interferir no dia-a-dia das pessoas.

O psicólogo Silvio Ferreira falou sobre o tema no debate, desta quinta-feira (11), com Geraldo Freire, e comentou que na era da informática, alguns boatos não duram muito tempo, pois, pela quantidade de pessoas que acessam as redes atualmente, os usuários podem retificar a informação equivocada. Segundo Silvio, os boatos podem ter uma natureza maldosa na origem, mas, quando circulam para as demais pessoas que utilizam as redes, podem estancar a divulgação do fato maldoso. Silvio mencionou ainda que os boatos que dizem respeito a pessoas são mais difíceis de controlar.

Segundo o ex-secretário de tecnologia, Cláudio Marinho, as redes sociais reproduzem hoje o perfil da sociedade. O acesso da população à internet crescer a cada ano, facilitado pelo uso dos celulares. “Há múltiplas fontes produtoras e difusoras de informação. Nivelar o sentimento do que seria verdade é uma incerteza grande hoje. Todos nós somos produtores, difusores e consumidores de informações”.

Um dado interessante citado pelo procurador da área de crimes cibernéticos, José Lopes, aproximadamente 94 milhões de usuários no Brasil utilizam a rede por minuto, com idéias distintas e perfis diversos, que nem sempre seguem um parâmetro esperado ou desejado. “Vale a conscientização sobre o uso correto da internet”, mencionou o procurador.

O uso consciente da internet merece uma reflexão de todos os usuários, sendo necessária a construção de uma nova educação, agora “virtual”, adequada aos novos padrões de tecnologia. A internet pode facilitar a vida de todos, mas saber usá-la é obrigatório.

Ouça o debate completo:




Mais Lidas