MEIO AMBIENTE

Proibição da captura e comercialização de guaiamum passa a valer a partir de dezembro

Antes do adiamento, os bares e restaurantes já estariam proibidos de comercializar o guaiamum a partir do próximo domingo (14)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/06/2015 às 14:28
Leitura:
Foto: Bobby Fabisack / JC Imagem


Uma nova portaria do Ministério do Meio Ambiente prorrogou o prazo de início da proibição para comercializar o guaiamum, que é um animal com alto risco de extinção. O adiamento altera a resolução número 445, publicada em dezembro, que proíbe a captura, transporte, armazenamento, manejo e comercialização de 74 espécies de peixes e invertebrados ameaçados de extinção.

Um dos motivos para o adiamento do prazo, por mais seis meses, é a importância econômica e social do guaiamum para o setor pesqueiro. De acordo com Gustavo Moreira, que faz parte da fiscalização do Ibama em Pernambuco, a partir do próximo dia 14 de dezembro a nova portaria passa a vigorar.

Antes do adiamento, os bares e restaurantes já estariam proibidos de comercializar o guaiamum a partir do próximo domingo (14). Os estabelecimentos que ainda possuíssem estoque do crustáceo teriam até trinta dias para declarar a quantidade armazenada e o período de um ano para comercializá-los. Faltando menos de uma semana para a proibição passar a valer, a portaria número 163 adiou o prazo.

O diretor executivo da Associação dos Bares e Restaurantes do Recife, Valter Jarocki, acredita que além da proibição, é preciso fazer um acompanhamento com os profissionais que comercializam o guaiamum.

O não cumprimento da portaria constitui infração, sujeita às penalidades, de acordo com a mercadoria apreendida. As primeiras fiscalizações devem começar em agosto.

Mais Lidas