TRAGÉDIA

Morre estudante de biologia da UFRPE que foi jogado contra a grade de terminal após cair de ônibus

O jovem Harlynton dos Santos, de 20 anos, estava internado desde a noite dessa segunda-feira após sofrer acidente no Terminal de Santa Rita

Da Rádio Jornal; atualizada às 18h30
Da Rádio Jornal; atualizada às 18h30
Publicado em 16/06/2015 às 12:43
Leitura:
Foto: reprodução/facebook


O estudante de Biologia da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), que caiu de um ônibus da Empresa Vera Cruz enquanto tentava embarcar no Terminal do Cais de Santa Rita na noite dessa segunda-feira, morreu no fim da manhã desta terça-feira (16). Harlynton dos Santos, de 20 anos, estava internado na UTI do Hospital Português, na área central do Recife, para tratar um politrauma sofrido na queda, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o pai da vítima, ele sofreu o acidente depois que bateu na porta do coletivo para que o motorista a abrisse. Quando ele teria subido o primeiro degrau das escadas, o motorista teria arrancado o veículo, arremessando o estudante contra uma grade de proteção do terminal.

Ainda segundo o pai do jovem, o motorista e o cobrador do ônibus da Empresa Vera Cruz, não prestaram socorro à vítima, mas foram seguidos por uma viatura policial que presenciaram o acidente. Os policiais abordaram os funcionários na garagem da empresa, levando-os a delegacia para prestar depoimento. Eles foram liberados e poderão passar por processo e responder criminalmente.

No Instituto de Medicina Legal, o irmão do jovem falou sobre o impacto da notícia na família e sobre o tratamento que o jovem teve no Hospital Português:

Procurados pela reportagem, o Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco e a Empresa Vera Cruz preferiram não se posicionar sobre o assunto. Já o Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável pela fiscalização dos ônibus que circulam na Região Metropolitana, informou que está à disposição das autoridades para fornecer as informações necessárias que ajudem nas investigações sobre o acidente.

Confira a nota em que o Hospital Português confirmou a morte do universitário:

Harlynton Lima dos Santos, 20 anos, deu entrada no Real Hospital Português na madrugada de hoje (15/06), às 00h33, com politraumatismo. Foi submetido à cirurgia para conter sangramentos e estabilizar múltiplas fraturas e internado no Centro de Terapia Intensiva, unidade especializada em trauma. Não resistiu aos múltiplos ferimentos e foi a óbito às 10h50. O corpo será encaminhado ao Instituto de Medicina Legal – IML.

Dr. Genes Felipe Rocha Cavalcanti – médico intensivista

Confira a nota da empresa Vera Cruz:

Às 23h18 do dia 15 de junho de 2015, o veículo de número de ordem 133 que realizava a linha TI Tancredo Neves (IMIP), fez uma parada para embarque e desembarque no ponto de retorno Cais de Santa Rita. Após dar partida, seguindo todos os procedimentos de segurança, fechou as portas de embarque e desembarque para reiniciar sua viagem, fazendo seu trajeto normalmente até o seu ponto final (TI Tancredo Neves), e dali recolhendo o veículo à garagem, finalizando sua jornada de trabalho.

Dos fatos: após o encerramento de sua jornada, o motorista e o cobrador foram surpreendidos com a chegada de uma viatura da polícia militar à procura dos referidos funcionários sob alegação de um suposto acidente envolvendo um usuário no Cais de Santa Rita, e assim, foram conduzidos pelos policiais à central de plantões do Recife para esclarecimentos.

De acordo com os levantamentos apurados no local e testemunhas, podemos afirmar que não houve atropelamento e sim um lamentável incidente, ocasionado quando o jovem Harlington Limas do Santos de 20 anos de idade, tentou um embarque no ônibus já em movimento, pendurando-se na parte traseira do veículo e segundos após não conseguindo segurar-se, veio a cair chocando-se no gradil, na saída do Terminal. Sendo atendido e socorrido por equipes da Polícia Militar e Samu, foi conduzido ao hospital Português.

No primeiro momento, foi relatado pelos policias militares que o motorista não prestou socorros e evadiu-se do local, recolhendo o carro para a garagem, porém, afirmamos que o nosso funcionário não tomou conhecimento dos fatos no momento do ocorrido, ou seja, como o veículo já estava em movimento, o motorista e o cobrador não perceberam a ação que resultou no referido incidente. Afirmamos pois todos os nossos veículos são equipados com sistema de monitoramento e rastreamento via GPS e tacógrafos. De acordo com os equipamentos, durante todo o trajeto, a velocidade máxima de pico registrada, não ultrapassou 65 km, inclusive após o ocorrido até a chegada na garagem.

O motorista, funcionário de nossa empresa há mais de 15 anos, é um profissional qualificado e sempre passa por capacitação tais como: direção de coletivos, direção preventiva e direção defensiva, além de exames indispensáveis a aferição da capacidade cognitiva e física.

Por fim, para convalidar as informações prestadas acima anexamos cópias do disco de tacógrafo e relatórios de GPS.

A empresa se solidariza com a família da vítima e reforça que contribuirá com a perícia e investigação do referido acidente.

Mais Lidas