CRIME

Dados de aplicativos de celular podem ajudar a esclarecer morte de taxista em Jaboatão dos Guararapes

A principal linha de investigação é a de latrocínio, roubo seguido de morte, uma vez que os pertences do taxista foram levados e o carro estava com o interior todo revirado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 21/06/2015 às 16:40
Leitura:
Foto: Bobby Fabisack / JC Imagem


Familiares e amigos se despediram, neste domingo (21), do taxista Luiz Francisco da Silva, de 37 anos. Ele morreu no Hospital da Restauração, no Derby, em decorrência das várias pedradas que levou na cabeça na madrugada do sábado (20). Segundo a polícia, a vítima teria iniciado uma corrida com dois casais no centro do Recife, antes de ser encontrada agonizando no bairro de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes.

A principal linha de investigação é a de latrocínio, roubo seguido de morte, uma vez que os pertences do taxista foram levados e o carro estava com o interior todo revirado. O pai da vítima, Luiz da Silva Filho, detalha em que circunstâncias o corpo foi encontrado.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai fazer um levantamento dos últimos clientes atendidos pelo taxista que tinha cadastro em dois aplicativos de celular. O Instituto de Criminalística deve periciar o veículo nesta semana.

Mais Lidas