TRANSPORTE

Culto ecumênico marca o sétimo dia da morte de estudante vítima de acidente em ônibus

Jovem morreu ao ser arremessado contra grade do terminal do Cais de Santa Rita depois de não conseguir subir em ônibus

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/06/2015 às 14:23
Leitura:
Foto: Reprodução / Facebook


Familiares do estudante Harlynton Lima, de 20 anos, morto depois de cair de um ônibus em movimento no Terminal Cais de Santa Rita, na última segunda-feira (15), seguiram até o Ministério Público de Pernambuco para exigir do governo medidas que melhorem o serviço de transporte público no Estado. Integrantes do movimento Frente de Luta Pelo Transporte Público e amigos da vítima também compareceram ao local.

Parentes da estudante Camila Mirele, de 18 anos, estiveram presentes no Ministério Público com a mesma intenção. A menina morreu no dia 8 de maio, quando caiu de um ônibus nas proximidades da Universidade Federal de Pernambuco. Um dos objetivos da ida ao órgão é pedir que as investigações acelerem, mas, com qualidade, como detalha o pai de Harlynton, Jocele Ferreira:

De acordo com Jocele, ele ainda está reunindo provas como o material que o estudante estava no dia, bolsa, livros e o ticket do cinema que ele tinha ido antes do acidente. O homem também vai fazer indicações de testemunhas para ajudar a polícia a investigar o caso e, no momento, ainda está terminando de juntar alguns laudos como o do Samu e o de atendimento da Polícia Militar. O pai do garoto busca entregar tudo isso ao delegado responsável pelo caso, Newton Motta, para que ele tenha mais meios apuratórios.

Esta segunda-feira marca o sétimo dia da morte de Harlynton e um culto ecumênico vai ser realizado em homenagem ao estudante. Harlynton era estudante do curso de biologia da UFRPE e morreu, na UTI do Hospital Português, devido a complicações de várias fraturas na bacia e na costela, além de sangramentos.

Mais Lidas