ECONOMIA

Mesmo com investigação, Justiça Federal libera Pernambuco Dá Sorte para voltar às atividades

Após a Justiça Federal liberar as atividades do Grupo Promobem, os advogados do grupo organizam a volta às atividades do Pernambuco Dá Sorte. Ainda não há uma data definida e a forma de comercialização também deve mudar.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/06/2015 às 9:50
Leitura:
Foto: Divulgação/JFPE


A empresa Promobem teve as atividades paralisadas em novembro do ano passado com a realização da Operação Trevo, feita pela Polícia Federal. A acusação era de que uma quadrilha atuava desviando o valor arrecadado pelos títulos de capitalização, que deveriam ter 50% dos valores destinados à instituições filantrópicas, mas apenas 1,67% era enviado. O restante do dinheiro era encaminhado ao Instituto Ativa Brasil, em Belo Horizonte.

A decisão da Justiça Federal em liberar as atividades está baseada no fato dos sócios, os irmãos e sócios Júlio Emilio Cavalcanti Paschoal Neto, Hermes Coutinho Paschoal, Gustavo Coutinho Paschoal e Cláudio da Rocha Paschoal, estarem respondendo o processo em liberdade. Eles chegaram a ser presos, junto com o gerente Zanone Tavares Pedrosa, mas foram liberados dias depois para responder o processo em liberdade. Nos últimos meses, os bens deles foram desbloqueados, assim como metade dos bens da empresa.

Apesar da liberação, o processo continua tramitando. A liberação se estende aos outros oito Estados onde o Promobem atuava (PA, AL, ES, AM, PB e PI). Nesta sexta-feira, o comunicador Geraldo Freire conversou com o advogado da empresa, Ademar Rigueira, sobre os tramites que a empresa vai tomar após a decisão da justiça. Ouça no player abaixo:

Mais Lidas