CHUVAS

Duas pessoas da mesma família morrem em deslizamento de barreira na Bomba do Hemetério

Jorge Pacheco da Silva e Flávio Lopes Barbosa eram padrasto e enteado

Da Rádio Jornal; atualizada às 15h25
Da Rádio Jornal; atualizada às 15h25
Publicado em 29/06/2015 às 6:42
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal


Por volta das 3h desta segunda-feira (29), uma barreira deslizou sobre a Rua Antônio Porfírio de Santana, na Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife. A casa onde estavam Jorge Pacheco da Silva e Flávio Lopes Barbosa ficou soterrada e ele morreram na hora. Eles eram enteado e padrasto.

Maria da Penha Lopes, esposa de Jorge e mãe de Flávio, explica que o marido levantou para tomar o remédio quando começou o deslizamento. Nesse momento, ele se jogou na cama e foi soterrado. O filho de Maria da Penha estava em um quarto ao lado e também foi atingido. A moradora diz que estava entre a sala e o terraço e, por isso, se salvou. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

O secretário Executivo de Defesa Civil do Recife, Cássio Sinomar, informa que as equipes de engenharia estão analisando a área para verificar se há risco de desabamento. Caso não, ele afirma que as pessoas devem procurar um lugar seguro durante as chuvas:

Os técnico da Defesa Civil do Recife continuam no local avaliando os estragos provocados pelo desabamento. A casa atingida ficou parcialmente destruída e está interditada. Outra três casas também foram interditadas e os moradores estão abrigados em casas de parentes. Imóveis que ficam na parte de cima da barreira também devem ser interditados. A Defesa Civil aguarda a chegada do Corpo de Bombeiros para retirar um cachorro que está preso aos escombros, mas passa bem.


A Defesa Civil permanece monitorando a situação da barreira que deslizou. A Emlurb trabalha na remoção do lixo acumulado no local e na retirada da árvore que caiu. Os quartos foram os únicos locais que foram atingidos, os outros cômodos da casa continuam intactos.

Alguns vizinhos estão se retirando do local com receio de que novos deslizamentos atinjam a área. A Defesa Civil vai avaliar a situação dos imóveis vizinhos à casa atingida para saber se vai ser preciso demolir as quatro casas.

Mais Lidas