PB/PE

Caso das mulheres estupradas e atropeladas em Goiana foi "fruto da ruindade humana", diz delegada

Os dois suspeitos de cometer o crime foram apresentados pela polícia da Paraíba nessa terça-feira (30)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/07/2015 às 10:58
Leitura:
Foto: Reprodução / Blog do Anderson

A polícia da Paraíba apresentou nessa terça-feira (30) a dupla acusada de sequestrar, estuprar e atropelar duas mulheres no bairro dos Bancários, em João Pessoa. O paraibano Leonardo José de Souza, de 22 anos, que tem antecedentes criminais, e o pernambucano Ivar Pedro da Silva, de 43 anos, que foi preso em um bar de Igarassu, teriam abordado as mulheres aleatoriamente no sábado.

Na versão dos suspeitos, eles planejaram o assalto em um bar no bairro da Mangabeira, na Paraíba, e estavam sob efeito de drogas no momento do crime. Leonardo teria discutido com Ivair, que estava dirigindo o veículo, e retornado para a Paraíba; o pernambucano, que estava desarmado, dirigiu até Goiana, onde levou as vítimas para o canavial e cometeu os estupros.

De acordo com a polícia, a mãe chegou a amamentar o filho antes de ser abusada. A mulher foi salva após trabalhadores da Usina Santa Tereza ouvirem o choro do bebê, já na manhã do domingo. A informação falsa de que a vítima não lembrava do ocorrido foi divulgada pela polícia para não atrapalhar as investigações.

A delegada responsável pelo inquérito, Roberta Neiva, descartou a hipótese de vingança e afirmou que o caso foi "fruto da ruindade humana": "Elas foram levadas contra a sua vontade da frente de casa (...) eles são bandidos, eles merecem ser presos, julgados e condenados, eles não se arrependem", disse.
O corpo da vítima que morreu, Glória da Silva, foi enterrado na cidade de Campo Formoso, na Bahia; a enfermeira Carolina Teles, que sobreviveu ao crime, permanece internada em um hospital do Recife sem previsão de alta; o bebê já está com parentes em João Pessoa, na Paraíba.

O secretário de segurança pública da Paraíba, Cláudio Lima, falou sobre o caso: "Nós já não temos dúvidas da investigação, mas ela será muito mais esclarecida com provas técnicas", disse.

Confira os flashes do secretário de Segurança Pública da Paraíba e da delegada responsável pelo caso:

Mais Lidas