INVESTIGAÇÃO

Contratantes de esquema de fraude no Detran começam a ser ouvidos pela polícia

Pelo menos 47 pessoas contrataram a fraude e estão sendo chamados a depor na especializada

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/07/2015 às 14:02
Leitura:
Foto: Divulgação / Polícia Civil


A Operação Recurso Nulo esclareceu o esquema de fraude em multas de blitz da Lei Seca no estado. A prática era comandada por um atendente do setor de recursos do Detran, com o auxílio de outro colega. Daniel Lima e Paulo Souza contavam com o suporte de despachantes. José Carlos Souza e Ramon Francisco captavam os interessados.

Na prática, os aliciadores ofereciam o serviço, que variava entre R$ 1500 e R$ 2 mil, podendo ser parcelado em até 10 vezes. No auto de multa, a guia do condutor era alterada. Quando chegava no órgão, a guia anexada ao processo sofria a manipulação da dupla de servidores, enquanto os despachantes produziam o recurso em nome dos contratantes, na qual alegavam desconhecer a placa multada se livrando da infração.

A titular da Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), Patrícia Domingos, diz que a sucessão de rasuras chamou a atenção da corregedoria do Detran:

Os recursos identificados pelo órgão são de 2013 e 2014. Pelo menos 47 pessoas contrataram a fraude e estão sendo chamados a depor na especializada. A Operação Recurso Nulo apreendeu 14 computadores, 9 celulares, uma pistola, guias de multas e processos originais do Detran, além de R$ 7300 em espécie.

A quadrilha vai responder por corrupção passiva e associação criminosa, podendo chegar a 15 anos de prisão. Já os condutores que contrataram o esquema podem der indiciados por corrupção ativa. A pena para o crime pode chegar até 12 anos. Ainda na operação foram apresentados um policial civil e um comerciante por crime de receptação.

Mais Lidas