DIRETO DE BRASÍLIA

Dilma Rousseff assina Medida Provisória de Programa de Proteção ao Emprego

Assim, as empresas que participarem do programa poderão reduzir a jornada de trabalho em até 30% com redução nos salários, complementados pelo Governo

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/07/2015 às 7:50
Leitura:

Para enfrentar a crise que se alastra pelo Brasil, principalmente na indústria de automóveis, a Presidente Dilma Rousseff assinou na noite dessa segunda-feira (6) uma Medida Provisória criando um Programa de Proteção ao Emprego.

Com esta ação, as empresas que participarem do programa poderão reduzir a jornada de trabalho em até 30% com redução nos salários, redução esta que vai ser complementada pelo Governo com o dinheiro do Fundo de Amparo de Trabalhador (FAT). Hoje, o trabalhador que tem uma jornada de 40 horas semanais e recebe R$ 1000 por mês pode trabalhar somente 28 horas por semana e passa a receber R$ 850.

As empresas que assinarem o convênio com o Governo só poderão demitir o trabalhador quatro meses após o acordo. A medida entra em vigor nessa quarta-feira (8) e deve seguir até 2016, mas um comitê formado por representantes do Governo, dos trabalhadores e da indústria deve detalhar as regras dentro dos próximos 15 dias.

O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos, Carlos Ayres, afirmou que o modelo adotado a partir da quarta é melhor do que o atual, com redução de jornadas de trabalho e dos salários sem a compensação do trabalhador: "Vamos mostrar que esse modelo de 'seguro emprego' é muito melhor do que o que temos hoje", afirmou.

O ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rousset, afirmou que se trata de uma medida com prazo de validade: "Programas como esse fazem parte de uma agenda positiva para os trabalhadores e para a econonia brasileira", disse.

Confira o comentário diário de Romoaldo de Souza, repórter da Rádio Jornal em Brasília, publicado no Redator de Plantão desta sexta-feira (3). O programa é transmitido da segunda ao sábado, das 6h às 6h45:

Mais Lidas