POLÍCIA

Em nova paralisação de 24 horas, policiais civis fazem ato em frente ao IML

A paralisação ocorre sob risco de punição, já que o TJ-PE acatou um pedido do Governo que não permitia paralisação de atividades sob pena de multa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/07/2015 às 10:40
Leitura:
Foto: Lélia Perlim / Rádio Jornal

Policiais Civis de Pernambuco começaram a se concentrar ainda antes das 8h na Rua Marquês do Pombal, em frente ao Instituto Médico Legal do Recife, localizado no bairro de Santo Amaro, na área central da capital. Por volta das 10h, os manifestantes iniciaram um ato fechando a via com um carro de som.

Os policiais estão cumprindo mais uma paralisação de 24 horas em manifestação por melhores condições de trabalhos: apenas os flagrantes, delitos e locais de homicídios serão feitos nesta quarta. Serviços como emissões de documentos, vistorias em veículos e serviços do IML estão completamente paralisados.

A reportagem da Rádio Jornal teve acesso a algumas áreas do órgão, onde testemunhou infiltrações, pedaços do teto caindo, mau cheiro no local - mesmo com corpos armazenados em temperatura adequada - e falta de materiais. No ato, deverá ser decidido quais rumos serão tomados pela paralisação e se haverá adesão a uma greve.

A paralisação feita pelos policiais é polêmica e corre risco de punição, já que ainda nessa terça-feira (7) o Tribunal de Justiça de Pernambuco acatou um pedido do Governo do Estado pedindo para que o Sindicato dos Policiais Civis (Simpol) não realizasse paralisação de atividades sob pena de multa diária de R$ 30 mil.

Confira matéria completa na voz de Lélia Perlim, para a Rádio Jornal:

Mais Lidas