SAÚDE

Residentes do Hospital das Clínicas fazem protesto em primeiro dia de greve

A partir desta sexta-feira, estão suspensos os atendimentos nos ambulatórios e cirurgias eletivas. Eles reclamam das precárias condições de trabalho

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 10/07/2015 às 11:20
Leitura:
Foto: Lélia Perlim/Rádio Jornal


Médicos residentes do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco começaram nesta sexta-feira (10), uma paralisação por tempo indeterminado. Por causa disto, cerca de 300 profissionais da área de saúde, como médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e psicólogos cruzam os braços e os atendimentos nos ambulatórios e cirurgias eletivas estão suspensos. Saiba mais na reportagem de Lélia Perlim:

Para marcar o primeiro dia da paralisação, os residentes realizaram um protesto em frente ao Hospital das Clínicas. Eles reclamam das precárias condições de trabalho, do desabastecimento de medicações essenciais para tratamento dos pacientes e da falta de equipamentos básicos. Um dos membros da comissão dos residentes do HC, Pedro Neto, falou que o aumento salarial da categoria não consta na pauta de pedidos: "A greve se dá pela falta de condição de trabalho para atender aos pacientes, a principal preocupação que a gente tem é de que o hospital não está oferecendo uma condição mínima para atendê-los", disse. Ele afirmou, ainda, que instrumentos básicos, como materiais de farmácia, estão em falta.

Durante o movimento grevista os tratamentos de quimioterapia, radioterapia, hemodiálise e os serviços de emergência obstetrícia e clínica médica, vão funcionar normalmente. Segundo os residentes, caso as reivindicações não sejam atendidas, uma nova assembleia será realizada na próxima quarta-feira (15) para decidir os rumos da greve.

Mais Lidas