TRANSPORTE PÚBLICO

Mesmo com esquema especial do metrô, passageiros sofrem para se locomover durante greve dos rodoviários

Quem usa os trens como parte do trajeto enfrenta longas filas nos terminais integrados para tentar pegar um ônibus

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/07/2015 às 7:02
Leitura:
Na estação Joana Bezerra, passageiros que vieram de metrô enfrentam longas filas para tentar pegar um ônibus. Foto: Rafael Carneiro/Rádio Jornal


Em um dia normal, cerca de 400 mil pessoas utilizam as linhas Centro e Sul com destino a Camaragibe, Jaboatão e Cajueiro Seco. O sistema funciona integrado ao transporte coletivo que, por conta da paralisação dos motoristas e cobradores, está comprometido. Saiba mais na reportagem de Rafael Carneiro:

Dependendo da demanda, a operação dos trens terá o horário de pico, momento do dia em que o maior número de viagens é maior, estendido das 8h30 para às 9h30 e das 19h para às 21h.Isso significa que o intervalo entre os trens nas cerca de 30 estações é de cinco minutos, em média.

No Jordão, passageiros se arriscam em transportes alternativos oferecidos por motoristas de carros particulares, vans e motos para tentar chegar ao metrô e aos seus locais de destino. Terminal Integrado de Cajueiro Seco, onde oepram mais de 10 linhas de ônibus, a circulação de veículos é pequena, assim como a de passageiros. Os usuários alegam que quem sofre com a paralisação é o povo. Ouça as reportaegns de Lélia Perlim:

Os rodoviários acreditam numa grande adesão à greve que começa na manhã desta terça-feira (14) no Grande Recife. O sindicato que representa os trabalhadores diz que pelo menos 30% da frota vai circular hoje. O advogado do sindicato, Ricardo Estevão, afirma que esse percentual mínimo é justo e correto:

Por conta da paralisação dos rodoviários, as universidades Federal e Federal Rural decidiram cancelar as aulas hoje.

Mais Lidas