RMR

Na primeira manhã de greve, TI Joana Bezerra amanhece com muitos passageiros e poucos ônibus

O Grande Recife afirmou que parte da frota esperada está circulando nas ruas, e que um registro de depredação já foi feito no Alto José Bonifácio

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/07/2015 às 7:19
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal

Os passageiros que não sabiam como seria a locomoção na primeira manhã de greve de ônibus conseguiram, com dificuldade, chegar ao trabalho nesta terça-feira (14). Na Estação Joana Bezerra, que oferece o serviço de ônibus em conjunto com o metrô, abrangendo a linha Sul e linha Centro deste, havia ônibus circulando - em número reduzido - no começo do dia.

A integração dos coletivos, que recebe cerca de 25 mil pessoas pelo horário da manhã e 25 mil pela tarde, amanheceu aberta. Mesmo com a afirmação de que o percentual de 70% da frota determinado pela justiça estava circulando, os passageiros não formavam filas e pequenas confusões ocorriam na hora de embarcar e desembarcar nos coletivos.

Mesmo com coletivos circulando, houve um registro de depredação foi feito no terminal do Alto José Bonifácio. Nenhuma informação mais precisa foi fornecida por parte do Grande Recife, mas o consórcio afirmou que uma viatura da Polícia e a equipe de fiscalização do órgão foi ao local.

O Diretor de Operações do Grande Recife Consórcio, André Melibeu, falou da situação nas garagens: "As garagens estão tranquilas até o momento (...) é um dia de greve, mas no qual os usuários estão podendo se locomover, não dentro da facilidade que queriam, mas estão podendo se locomover", disse.

A preocupação dos passageiros, porém, era o rumo que a paralisação seguiria durante o dia. Ainda na estação Joana Bezerra, um passageiro que veio de ônibus de Abreu e Lima e tentava chegar em Boa Viagem lembrou da preocupação geral com a volta para casa: "A gente vai para o trabalho e também não tem certeza se volta", disse.

Confira matéria completa na voz de Rafael Carneiro, para a Rádio Jornal:

O assessor de imprensa da Metrorec, Salvino Gomes, falou sobre a movimentação nos trens com a diminuição na frota de ônibus na RMR. Ele informou que, por causa do sistema de integração, o número de passageiros geralmente diminui nas estações, já que os ônibus são responsáveis por quase 60% dos passageiros do metrô. Salvino informou, ainda, que dependendo da demanda de pessoas no local, é possível que a hora de pico dos trens seja estendida por cerca de meia hora, chegando até 9h30 pelo horário da manhã e 21h pelo horário da noite.

O número de transportes alternativos no terminal também era grande. Muitos motoqueiros ofereciam caronas aos passageiros em troca de dinheiro. Na Avenida Agamenon Magalhães, o movimento de carros era maior nesta terça, já que muitos optaram por tirar os veículos da garagem ao invés de esperar pelo transporte público.

GREVE - Os rodoviários decidiram entrar em greve após cinco rodadas de negociação na qual pediam aumento de 30% no salário e 27% no ticket alimentação da categoria. O Sindicato das Empresas de Ônibus (Urbana-PE) ofereceu um reajuste de 9,7% no salário e afirmou que, por causa da greve, cancelaria a negociação.

Mais Lidas