SAÚDE

Pacientes denunciam longa espera por atendimento em exames e consultas no IMIP

Em dois dias na unidade, conhecemos a situação de quem depende do hospital, e nem sempre é fácil

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/07/2015 às 14:04
Leitura:
Foto: Rodrigo Lôbo / acervo JC Imagem


O Instituto de Medicina Integral Fernando Figueira (IMIP), localizado na região central do Recife, é considerado um dos complexos hospitalares mais importantes do país. Por ano, mais de 600 mil atendimentos são oferecidos para pernambucanos de várias regiões do Estado. Dados dão conta de que passam mais de 22 mil pessoas na unidade, uma população maior do que a do município de Riacho das Almas, no Agreste, por exemplo. Em dois dias na unidade, conhecemos a situação de quem depende do hospital, e nem sempre é fácil.

Pacientes sofrem para ter atendimento no setor de ortopedia
Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal


No setor de ortopedia, conseguir atendimento às vezes chega a ser uma maratona. A auxiliar de serviços gerais, Maria Celeste Soares, visita o hospital pela quarta vez desde que teve um procedimento adiado. Ela necessita de uma cirurgia no joelho e de uma prótese. Ao pedir a marcação de uma consulta para avaliar o pé, a reportagem foi informada de que o procedimento não tem previsão para ser oferecido. Os pacientes da dermatologia recebem as mesmas recomendações.

Em outro setor, o de marcação de exames, situação bem semelhante: há cerca de seis meses os funcionários da recepção repetem o mesmo discurso. A produção da Rádio Jornal entrou em contato por telefone e foi atendida assim:

Ainda no local, a reportagem registrou o momento em que uma paciente, que preferiu o anonimato, mais uma vez não teve sucesso ao marcar um raio-X.

Em reposta às denuncias, o IMIP disse que não há restrições de atendimento no complexo hospitalar, mas que, devido à grande demanda existente, reconhece que ocorrem algumas dificuldades pontuais, como marcação na unidade de dermatologia e cirurgia ortopédica. Quanto à reclamação relacionada aos exames de imagem, a nota diz que alguns procedimentos específicos não estão sendo realizados devido à manutenção de equipamentos que, por causa do elevado número de exames, necessitam ser executados. Já os exames de ressonância magnética com contraste estão sendo realizados normalmente e que a demora acontece em decorrência do número de pacientes. A unidade não explicou quando o equipamento de raio-X vai voltar funcionar.

Mais Lidas