HOSPITAL-ESCOLA

Residentes do Oswaldo Cruz protestam por melhores condições de trabalho e estudo

De acordo com a organização do movimento, os residentes podem entrar em greve se a situação não melhorar.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/07/2015 às 10:44
Leitura:
Foto: Lélia PErlim/Rádio Jornal


Cerca de 280 residentes em odontologia, medicina, nutrição, enfermagem e outras especialidades paralisam suas atividades nesta quarta-feira (22) para denunciar as más condições de trabalho no Hospital Universitário Oswaldo Cruz. O ato, que recebe apoio de estudantes do CISAM e do PROCAPE, acontece em frente à sede do HUOC, em Santo Amaro, área central do Recife.

A iniciativa tem o apoio de entidades médicas e visa chamar a atenção do poder público para o caos no hospital-escola. Entre as denúncias, destaque para falta de antibióticos básicos para tratamento de infecções comuns neste ambiente, além de insumos e materiais como agulhas, luvas e até seringas.

A residente de clínica médica, Thaísa Rodrigues, que é uma das organizadoras do movimento, diz que o hospital sofre com falta de recursos há anos, mas que, desta vez, a crise na saúde está mais grave. De acordo com Thaísa, os residentes podem entrar em greve se a situação não melhorar.

De acordo com os organizadores, a falta de insumos básicos traz consequências negativas para os pacientes em tratamento. Nesta quarta-feira, os serviços que são feitos pelos residentes serão executados pelos outros profissionais do quadro funcional da unidade.

Nas redes sociais, o ato público com os médicos residentes está sendo intitulado #vistaacamisadoHUOC. Marcos Villander, um dos ativistas, diz que a formação acadêmica fica comprometida:

O Hospital Oswaldo Cruz informa que com a chegada dos medicamentos está retomando a quimioterapia, que estava paralisada desde o início de julho. Saiba mais na reportagem de Lélia Perlim:

Por volta das 10h30, os residentes saíram em caminhada da sede do Hospital em direção ao Palácio do Campo das Princesas. Eles interditam uma faixa da Avenida Mário Melo e o trânsito começa a ficar lento no local.

Mais Lidas