AUDIÊNCIA MARCADA

Raul Henry comenta dificuldades de governar em meio à crise e problemas de acessibilidade para Arena

O vice-governador de Pernambuco falou ainda sobre questões de mobilidade, processos políticos e obras não concluídas no estado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/07/2015 às 17:49
Leitura:
Foto: Isabela Dias | Rádio Jornal


No programa Audiência Marcada da Rádio Jornal desta sexta-feira (24), o comunicador Ednaldo Santos conversou em entrevista com o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry. O colunista de política do Jornal do Commercio, Giovani Sandes, também participou do encontro.

Na oportunidade, o vice-governador falou sobre o tema mobilidade, e conclusão de algumas obras. Henry comentou sobre a grandiosidade do projeto da Arena Pernambuco. “É um equipamento de primeiro mundo (...), nunca houve questionamento quanto ao custo da obra, o questionamento que existe é quanto a sustentabilidade desse contrato, desse plano e negócio para funcionamento econômico da arena, que está sendo revisado”, disse.

Tânsito ficou bastante congestionado no dia do joro entre Sport e São Paulo
Foto: Guga Matos | JC Imagem


Sobre mobilidade, o vice-governador mencionou a necessidade de duas obras estruturadoras. Uma delas seria a triplicação da BR 232, do viaduto da Abdias de Carvalho até a entrada da BR 408. “Nós vamos cobrar que ela esteja no plano de concessões do Governo Federal”, afirmou. Raul Henry disse ainda que a segunda obra seria a conclusão do Ramal da Copa.

Sobre as questões de acesso ao estádio, localizado em São Lourenço da Mata, Henry mencionou a quantidade de vagas por assento. Mas, acredita que há muitos torcedores que comparecem aos jogos no local e preferem ir de carro, em razão da precariedade do transporte coletivo. “No momento de maior pique, passam na 232 4.500 automóveis. Pro campo de futebol passam 10 mil ou 12 mil, é impossível dar conta desse fluxo”, afirmou. Ele entende que o que deve ser feito é convencer a população que se chega mais fácil na arena de transporte coletivo. “Para isso, nós precisamos assegurar a segurança no transporte coletivo, a freqüência, a rapidez e o conforto”, concluiu.

Outro ponto citado pelo vice-governador foi a criação de mais linhas para zona sul e norte, perto de áreas de estacionamento, como acontece no carnaval e aconteceu na Copa do Mundo. “A solução definitiva passa necessariamente pelo transporte público”, comentou.

Com relação a crise nacional, o vice governador entende que se houver impeachment este deve seguir o processo político, dentro da constituição, como aconteceu com o ex-presidente Fernando Collor. Sobre a situação atual de governo e cortes no orçamento, Raul Henry falou sobre a dificuldade de governar em meio crise. “É sempre muito difícil governar num momento de crise. O PT mentiu para o povo e quebrou o estado Brasileiro, o povo está pagando a conta”, citou.

Confira o programa na íntegra:

Mais Lidas