RELIGIÃO

Reunião no Ministério Público discute intolerância religiosa depois de morte de menina e tia

Três suspeitos foram presos e uma ialorixá foi detida preventivamente pelo crime

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/07/2015 às 14:03
Leitura:
Foto: Rafael Carneiro / Rádio Jornal


A intolerância religiosa voltou a dominar os noticiários a partir da morte de uma menina de 2 e 9 meses e a tia dela, Janaína Rodrigues, em Pau Amarelo, Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

De acordo com uma investigação da Polícia Civil, três suspeitos foram indiciados por duplo homicídio qualificado, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver. E uma quarta pessoa foi presa preventivamente, a ialorixá, Maria da Conceição.

A partir deste fato, diversos integrantes de terreiros de religiões afrobrasileiras começaram a manifestar apoio a liberação da ialorixá.

Nesta segunda-feira (27), no Ministério Público de Pernambuco, em Santo Amaro, oconteceu um encontro com a Polícia Militar e representantes de movimentos sociais religiosos pedindo o fim da intolerância.

Mais Lidas