DEBATE

O trabalho dignifica o homem? Confira as opiniões dos convidados do debate desta quinta

O programa foi inspirado na crônica de Thomaz Wood Júnior, que fala que “o trabalho é ideia milenar, nem sempre muito apreciada"

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 06/08/2015 às 14:05
Leitura:
Foto: Ísis Lima | Rádio Jornal


No debate da Super Manhã desta quinta-feira (06), o comunicador da maioria, Geraldo Freire, recebeu nos estúdios da Rádio Jornal o advogado Luiz Alencar, o professor de história Felipe Galindo e o cardiologista Eduardo Pessoa.

Geraldo Freire iniciou o debate dizendo-se espantado, pois sempre pensou que o trabalho fosse uma coisa honrosa para todos, desde o primeiro momento da humanidade. Sendo essa visão diferente, por exemplo, dos gregos da antiguidade.

O programa foi inspirado na crônica de Thomaz Wood Júnior, que fala que “o trabalho é ideia milenar, nem sempre muito apreciada. A Grécia antiga não tinha o trabalho em grande conta e considerava um inimigo da virtude, as quais deveriam ser desenvolvidas na filosofia e na política. As sociedades industrializadas modernas, contrariamente aos gregos, celebram o trabalho como valor central, algo capaz de gerar riqueza e bem-estar, beneficiando o indivíduo e a sociedade”. Geraldo disse ser fã de um pensamento de Einstein, que dizia “eu não sei se a sorte existe ou não, mas se um dia ela me procurar, vai me encontrar trabalhando”.

Foto: Reprodução internet


O professor Felipe Galindo falou do trabalho nas civilizações e sociedades gregas, antigas e romanas. Galindo mencionou um trecho da bíblia sobre Adão e Eva e a expulsão do paraíso por causa do fruto proibido. A condenação da Adão e Eva seria “ganharás o teu sustento com suor do teu rosto, trabalho como uma condenação”, mencionou.

O professor falou também sobre o entendimento do trabalho pela civilização grega até os dias atuais.

Não pode acompanhar o programa? Confira o debate na íntegra acessando os players abaixo:

Mais Lidas