SEGURANÇA

Policiais Civis decidem entrar na Justiça Federal com ação contra programa de horas extras do Estado

O objetivo da ação é apontar nacionalmente possíveis irregularidades no Programa de Jornada Extras da Segurança Pública do Estado (PJES)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/08/2015 às 14:17
Leitura:
Foto: Clarissa Siqueira/Rádio Jornal


Na próxima segunda-feira (10), o Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco deve entrar no Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. O objetivo da ação é apontar nacionalmente possíveis irregularidades no Programa de Jornada Extras da Segurança Pública do Estado (PJES). Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (7), membros do Sindicato apontaram, ainda, dados apurados pelo grupo sobre a violência no Estado.

De acordo com a categoria, foram registrados, este ano, até o mês de agosto, 2.206 homicídios em Pernambuco. Oito mil veículos teriam sido roubados no mesmo período e 2.000 assaltos a ônibus registrados, um aumento de 42% em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, os números negativos são resultado da falta de estrutura e efetivo e não provocados pelas paralisações parciais da categoria, o que teria afirmado a Secretaria de Defesa Social:



Com a ação no STF, os policiais pretendem forçar que o Governo contrate novos policiais, já que a categoria afirma trabalhar apenas com 40% do que seria o número ideal nas investigações. Por meio de nota, a Secretaria de Defesa Social disse que não vê qualquer ilegalidade no Programa Jornada Extra de Segurança. A SDS ainda reafirma que a não adesão ao PJES é uma variante relevante no aumento de crimes violentos letais intencionais no Estado no mês de julho.

Mais Lidas