DEBATE

Serviço Uber e crimes cibernéticos no debate desta quinta

As polêmicas envolvendo o Uber e como se proteger dos crimes cibernéticos foram os destaques do programa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/08/2015 às 16:55
Leitura:
Foto: Ísis Lima | Rádio Jornal


O debate da Super Manhã desta quinta-feira (20), falou sobre o aplicativo Uber no Recife e crimes cibernéticos. No estúdio da Rádio Jornal, o comunicador Wagner Gomes recebeu o assessor de comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro, a vereadora Isabela de Roldão e o dono da empresa Teletaxi, Nivaldo Cavalcanti.

O funcionamento do serviço Uber é parecido com o de um aplicativo de táxis: o usuário baixa o aplicativo no smartphone, faz o cadastro, informa o número do cartão de crédito e o local onde está, solicita o carro e aguarda o motorista mais próximo. O Uber já anunciou que tem interesse em vir para o Recife.

Foto: Ilustração (reprodução internet)


Uma das convidadas do programa, a vereadora Isabela de Roldão entrou com projeto contra o Uber sendo apoiada pelos taxistas. O segmento de tecnologia de informação é contra. A vereadora entende que o tema é polêmico e que já existem muitos problemas instaurados em outros países.

O proprietário da TeleTaxi, Nivaldo Cavalcante também participou do programa e falou sobre o serviço, e as adaptações com a nova realidade com as atualizações do atendimento por aplicativos, entendido pelo próprio Nivaldo como um benefício, facilitando a vida da população. “Essa onda dos aplicativos e as empresas de rádio-táxi estão se adaptando ao logo do tempo. Ou a empresa se adapta, ou desaparece”, comentou.

O assessor de comunicação da Polícia Federal falou sobre a modernização da PF, que faz uso de aplicativos. Santoro comentou que a PF tem um aplicativo em que as pessoas podem fazer denúncias, aproximando a polícia da população. O assessor esclareceu algumas questões relativas aos crimes cibernétitos e como as pessoas podem se proteger.

Confira o programa na íntegra:

Mais Lidas