INVESTIGAÇÃO

Motorista do ônibus é indiciado por morte da estudante que caiu de coletivo na BR 101

O motorista do ônibus, João Martins de Oliveira, 30 anos, que fazia a linha Barro/Macaxeira, foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/08/2015 às 14:07
Leitura:
Foto: Amanda Miranda/JC Trânsito


Mais de três meses depois da morte da universitária Camila Mirelle, 18 anos, que morreu depois de cair de um ônibus, a Polícia Civil concluiu o inquérito do caso. O motorista do ônibus, João Martins de Oliveira, 30 anos, que fazia a linha Barro/Macaxeira, foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, com o agravante de se tratar de veículo de transporte de passageiros.

De acordo com a polícia, ele abriu a porta com o ônibus em movimento, provocando a queda da jovem. Os detalhes foram apresentados nesta segunda-feira (24) durante entrevista na sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais, em Afogados, Zona Oeste da capital.

O titular da Delegacia de Delitos no Trânsito, Nilson Mota, deu detalhes do inquérito:



Além disso, a perícia comprovou que o sistema de trava da porta havia sido desativado antes do acidente. Se for condenado, o motorista pode pegar até seis anos de prisão. O Sindicato dos Rodoviários informou que vai aguardar a decisão da Justiça sobre o caso para tomar as medidas cabíveis.

De acordo com a polícia, por enquanto a empresa Metropolitana, que operava a linha Barro/Macaxeira e o Grande Recife Consórcio de Transportes não serão responsabilizados pela morte de Camila.

Foto: Reprodução

Mais Lidas