DEBATE

O direito na política foi tema do debate desta segunda-feira

Convidados debateram sobre as investigações das contas da campanha da presidente Dilma Rousseff, impeachment, manifestações e situações políticas do passado

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 24/08/2015 às 14:44
Leitura:
Foto: Ísis Lima | Rádio Jornal


No debate da Super Manhã desta segunda-feira (24), os convidados falaram sobre o direito na política. O ex-senador Ney Maranhão, o deputado federal Silvio Costa e o advogado de família, João Bosco Tenório, debateram questões relacionadas à atualidade, envolvendo política e recentes investigações de corrupção.

O advogado João Bosco Tenório avaliou os pedidos de julgamento quanto às contas da campanha da presidente Dilma Rousseff. De acordo com Bosco, as contas da campanha foram aprovadas com ressalvas, e que surgiram novas informações com a delação premiada de Julio Camargo e do presidente da UTC, que diz que foi extorquido em R$ 7 milhões para a campanha da presidente. “Isso confirmado, o Tribunal tem que se manifestar e o Ministério Público tem que provocar o tribunal para uma manifestação definitiva”, comentou.

O deputado Silvio Costa admirou a coerência do ex-senador Ney Maranhão, mesmo tendo projetos opostos. Costa lamenta a irresponsabilidade da oposição, mencionando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o senador Aécio Neves. “O Aécio Neves está cada dia menor (...) ele não tem dimensão para ser presidente da república”, afirmou. De acordo com o deputado, o impeachment só cabe se o presidente cometer um erro, ou cometer um roubo, num mandado em exercício. “A presidente Dilma nem cometeu e nem cometerá, esse é o primeiro ponto”, disse. Silvio Costa se diz indignado com a sociedade brasileira diante das manifestações recentes. O deputado afirma que as primeiras “pedaladas” foram dadas pelo presidente Fernando Henrique e que o TCU não prejudicou FHC na oportunidade. “As contas da presidente Dilma no TSE foram aprovadas, com ressalva, mas ela foi diplomada. Não tem como tirar a presidente Dilma. Esse povo que está pregando renúncia, que está pregando impeachment, está trabalhando contra o país. Eu estou cada dia mais indignado com isso. A presidente Dilma é uma mulher decente, uma mulher honrada, é uma mulher digna (..) Eu acho isso [o impeachment] um desrespeito a democracia”, falou. Silvio Costa disse ainda que o candidato Aécio Neves perdeu a eleição por incompetência.

Já o advogado João Bosco não entende que FHC defenda o impeachment, e disse ainda que “se ela tivesse dimensão maior, renunciava”. O deputado Silvio Costa retrucou dizendo que “ela [a presidente] não vai renunciar, exatamente porque tem grandeza”.

O ex-senador Ney Maranhão contou sobre algumas crises e situações de passado, inclusive a derrubada João Goulard e a renúncia de Jânio. Ele entende que iniciou-se uma revolução pela renovação dos costumes políticos do país.

Os convidados debateram outras questões ligadas ao governo atual e oposição.

Confira o debate na íntegra:

Mais Lidas