DEBATE

A eternidade de Lupicínio Rodrigues no debate desta quinta

O cantor e compositor, se estivesse vivo, completaria 101 anos no dia 16 de setembro

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/08/2015 às 13:33
Leitura:
Foto: Ísis Lima | Rádio Jornal


No debate da Super Manhã desta quinta-feira (27), o comunicador Geraldo Freire recebeu no estúdio da Rádio Jornal, o médico e cantor, Fernando Azevedo; e os cantores Maciel Melo e Leonardo Sullivan. Os convidados falaram sobre o cantor e compositor Lupicínio Rodrigues. Lupicínio faleceu em 27 de agosto de 1974, pouco antes de completar 60 anos.

Para homenagear o cantor, que morreu há 41 anos, a Rádio Jornal dedicou o debate desta quinta para falar sobre as marchinhas de carnaval que eternizaram "Lupe", como era chamado, além de lembrar outros grandes nomes da música brasileira. As cançoes de Lupicínio Rodrigues expressam sentimentos e, principalmente, a melancolia por um amor perdido.

Entre as músicas do cantor e compositor, estão Nervos de Aço, com o conhecido trecho “Você sabe o que é ter um amor, meu senhor? Ter loucura por uma mulher. E depois encontrar esse amor, meu senhor, ao lado de um tipo qualquer?” e Nunca, cantada por muitos artistas brasileiros.

Foto: Site YouTube (Reprodução)


O cantor Lupicínio Rodrigues foi imortalizado como o cantor da “dor de cotovelo”. Mas ele deixou muitas marchinhas, valsas e, de quebra, fez o hino do Grêmio. Fernando Azevedo ressaltou que muitos dos melhores e maiores cantores gravaram as músicas de Lupicínio.

O cantor e compositor, se estivesse vivo, completaria 101 anos no dia 16 de setembro.

Confira o debate na íntegra:

Mais Lidas