SAÚDE

Paralisação de residentes atinge atendimento no Getúlio Vargas

No total, são 105 profissionais residentes que atuam em todos os setores do HGV e se queixam da falta de condições de trabalho, o que compromete a atenção à pacientes

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/08/2015 às 13:30
Leitura:
Foto: Renato Spencer / JC Imagem


Pacientes em tratamento no Hospital Getúlio Vargas, na Zona Oeste do Recife, deixaram de ser atendidos nesta quinta-feira (27). O ato dos médicos residentes da unidade foi o segundo a paralisar as atividades, por 24 horas, só neste mês de agosto.

No total, são 105 profissionais residentes que atuam em todos os setores do HGV e se queixam da falta de condições de trabalho, o que compromete a atenção à pacientes, seja na emergência, ambulatório ou procedimentos cirúrgicos.

O residente da ortopedia, Mauriston martins, afirma que, além da falta de gazes, luvas e medicamentos, os equipamentos danificados aumentam o transtorno dos pacientes:



Em nota, a direção do Getúlio Vargas respondeu as reclamações como pontuais e que houve a remarcação de consultas no setor de ortopedia e urologia. Sobre os médicos residentes, o HGV afirmou ter se esforçado para manter o diálogo e abastecer a unidade com materiais dentro da normalidade.

Por fim, informou que o raio-x está funcionando normalmente e que está negociando com a empresa que realiza reparos nos elevadores.

Mais Lidas