CONSULTÓRIO

A Relação Entre o Câncer de Mama e a Obesidade no Consultório de Graça

De acordo com pesquisa, o Brasil registra, anualmente, cerca de 57.000 novos casos de câncer e cerca de 14.000 mulheres morrem, por ano, devido a doença na mama

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 01/09/2015 às 20:02
Leitura:
Foto: Isabela Lemos/Rádio Jornal

No Consultório desta terça-feira (1), a jornalista Graça Araújo recebeu o endocrinologista Lúcio Lins e o oncologista Rossano Araújo, que comentaram sobre uma nova pesquisa divulgada pela revista Science Translational Medicine que aponta que 20% das mulheres que morrem por câncer, são atingidas devido a obesidade.

O endocrinologista Lúcia Lins, explica que através do IMC (Índice de Massa Corporal) é possível descobrir se a pessoa sofre de obesidade. “Se a pessoa estiver com o IMC acima de 30% ela já pode ser considerada como bastante gorda e igual ou acima de 40% já é considerada obesidade mórbida, o que é muito grave”, explica. O cálculo é realizado pela relação de peso e altura. No câncer de mama, a prevalência do tumor entre as mulheres que apresentam o índice acima de 30% é muito maior.

Já o oncologista Rossano Araújo, comenta que a evolução do câncer é mais agressiva nas pacientes que apresentam a obesidade. “A gente tem que levar em consideração um fato muito importante, 70% dos cânceres de mama eles são hormônios independentes, ou seja, a célula cancerígena tem receptor para o estrógeno e o testosterona,” comenta.

Ouça o programa na íntegra:

Mais Lidas