OPERAÇÃO

Polícia apresenta detalhes de quadrilha que praticava agiotagem e extorsão no Grande Recife

Na casa do líder do grupo, os agentes encontraram 652 cheques de diversos valores

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 04/09/2015 às 14:15
Leitura:
Foto: Clarissa Siqueira


Nove homens, seis deles servidores ou ex-servidores públicos, foram presos durante a Operação Usura, da Polícia Civil. Eles são suspeitos de participar de uma quadrilha que praticava os crimes de agiotagem, extorsão, associação criminosa e venda de munição nos municípios de Paulista, Igarassu, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

Os detalhes da desarticulação do grupo foram apresentados nesta sexta-feira (4). Segundo a polícia, o líder da quadrilha seria Marcos Heraldo de Araújo Campos, funcionário da Previdência Social e dono de diversos imóveis e centros comerciais em Paulista.

Na casa dele, os agentes encontraram 652 cheques de diversos valores. Por causa desses cheques, a polícia acredita que o grupo tenha feito centenas de vítimas. O delegado de Paulista, Ivaldo Pereira, responsável pela investigação, diz que vai analisar o material e chamar as vítimas para prestar depoimento:



O grupo emprestava dinheiro e cobrava juros de 20%. Quem não pagava, mas tinha o nome limpo no Sistema de Proteção ao Crédito (SPC), era levado por Gilvandro Moraes Filho e por Jessé Ferreira Gomes ao banco, onde era feito um empréstimo de alto valor no nome das vítimas. Os cartões e senhas do banco ficavam com o grupo. Já quem tinha o nome na lista do SPC, ameaçado, repassava imóveis, objetos pessoais ou cartões bancários.

As ações violentas do grupo eram comandadas pelo ex-policial militar Rinaldo Bezerra de Melo, já condenado por roubo de carga, e pelo PM Everaldo Epifânio Lopes. Também foram presos Gilmar Feliciano da Silva, ex-policial civil e pastor, e o auxiliar administrativo da Universidade Federal de Pernambuco, Jefferson Medeiros de Almeida.

Além dos cheques encontrados com o chefe do grupo, foram apreendidos durante a Operação Usura 3.656 munições, três armas, R$ 2.300, dólares, euros, duzentas notas promissórias, cartões de crédito de diversas pessoas e aparelhos celulares. Os policiais militares detidos foram encaminhados para o Centro de Reeducação da pm (Creed) e os demais foram levados ao Centro de Triagem Everardo Luna (Cotel).

Mais Lidas