SAÚDE

Pacientes reclamam falta de médicos e atendimento limitado na UPA da Caxangá

Segundo informação de pessoas que estavam no local neste sábado, havia apenas um clínico geral na unidade

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/09/2015 às 17:00
Leitura:
Foto: Ísis Lima | Rádio Jornal


A situação dos pacientes do sistema único de saúde está cada dia mais complicada. Dessa vez, os transtornos foram enfrentados pelos usuários que procuraram a UPA da Caxangá, nesse sábado (5). Sem médicos suficientes e com atendimento limitado, muitos voltaram para casa sem receber assistência.

De acordo com informações de pessoas que estavam no local, os serviços foram interrompidos no início do plantão, quando os médicos não chegaram. Segundo um acompanhante que preferiu não gravar entrevista, apenas um médico clínico geral estava na unidade.

A UPA da Caxangá, localizada na zona Oeste do Recife, funciona, normalmente, com quatro clínicos gerais, dois pediatras e um ortopedista. Por conta da interrupção dos atendimentos, as ambulâncias do serviço de atendimento móvel de urgência (Samu) que chegavam na unidade de pronto atendimento estavam levando os pacientes para outras unidades. Uma socorrista que não quis se identificar precisou levar um paciente vítima de um AVC para a UPA do Curado. Ela relata a resposta que ouviu na recepção.

Apenas casos graves estavam sendo admitidos, pelo menos foi essa resposta que o aposentado Claudemir Bezerra, de 71 anos, obteve ao chegar no local, depois de levar um corte no pé.

Um médico plantonista que estava largando do plantão conversou informalmente com a repórter Ísis Lima e confirmou que a situação foi ocasionada pela falta de repasse do governo de Pernambuco. Segundo o profissional, que não revelou o nome, o atraso estaria afetando o pagamento dos salários dos funcionários e também dos fornecedores. O repasse mensal que a unidade recebe é no valor de milhão e R$ 200 mil.

A reportagem tentou entrar em contato com a assessoria do Hospital Maria Lucinda, responsável pela administração da UPA, mas não obteve retorno, bem como a Secretaria de Saúde.

Confira a reportagem de Ísis Lima:

Mais Lidas