7 DE SETEMBRO

Durante desfile cívico-militar, Governador fala sobre desafios a serem superados

Público sentiu a ausência da cavalaria e da tradicional apresentação da Esquadrilha da Fumaça

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/09/2015 às 14:53
Leitura:

Com um céu ora nublado, ora ensolarado e calor intenso, jovens estudantes de bandas marciais abriram o desfile cívico militar de Sete de Setembro, no Recife, nesta segunda-feira.

E eles não se perderam na marcha e no ritmo. A baliza da banda marcial do Ginásio Pernambucano, animou o público com a coreografia bem ensaiada. Alicia Nayane, já tem uns 5 desfiles no currículo, mas a emoção foi de iniciante, explicando que se emociona ao representar a tradicional escola de Pernambuco.

Confira os detalhes:

,

O público, formado por crianças carregando bandeirinhas, familiares de desfilantes e apaixonados pela pátria adorada, reverenciou o desfile ocupando as calçadas do percurso de 4 km da Avenida Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife.

O operador de telemarketing, Marcelo Marques, envolto na bandeira do Brasil, celebrava com orgulho. “Todo ano eu venho”, lembrou o trabalhador, pedindo que a população dê mais valor à data.

Governador Paulo Câmara

Em seguida, foi a vez dos militares das Forças Armadas passaram pela avenida a pé e motorizados. Quem esteve na parada cívico-militar, sentiu a ausência da cavalaria e da tradicional apresentação da Esquadrilha da Fumaça no céu.

O comandante militar do Nordeste, o general Manoel Luiz Narvaz Parfiadache, justificou a falta. “A esquadrilha da fumaça tem uma série de outros eventos hoje, inclusive em Brasília, e por isso a ausência dela”.

O governador Paulo Câmara, que participou como chefe de Estado pela primeira vez, acompanhou o desfile do palanque oficial ao lado de autoridades. E ao final do evento, falou sobre os desafios a serem superados pela Nação e Estados neste momento de crise que passa o Brasil.

Mais Lidas