VIOLÊNCIA

Sargento que matou adolescente em Escada vai ser indiciado por homicídio qualificado

O policial militar Miguel Furtado de Souza vai ser responsabilizado por ter atirado em uma vítima que não tinha chance de defesa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 08/09/2015 às 13:24
Leitura:

Marcelo pegou o carro do pai escondido


A Polícia Civil concluiu a investigação sobre a morte de Marcelo Lauriano Gomes Filho, de 16 anos, morto em abordagem da Polícia Militar, em junho deste ano, em Escada, na Zona da Mata do Estado.

O adolescente pegou escondido o carro do pai, com o irmão mais velho e mais dois amigos para dar uma volta pela cidade quando foram interceptados por uma viatura da Companhia de Operações e Sobrevivência em Área de Caatinga (CIOSAC), em frente a duas agências bancárias. Os jovens conversavam com um outro casal no momento da ação da polícia.

Confira os detalhes na reportagem de Rafael Carneiro:

A responsável pela investigação, a delegada Glêide Ângelo, disse que uma operação malsucedida contribuiu para o fim trágico. Testemunhas que estavam dentro da caminhonete, pediram para o policial não atirar, antes do menor se assustar e partir com o carro.

LEIA MAIS: "Ele matou meu bebê", diz pai de estudante morto por policial militar com tiro de fuzil em Escada

O sargento Miguel Furtado de Souza, com 29 anos de serviço, disse em depoimento que o disparo foi acidental, após escorregar. Fato não confirmado por 3 policiais que estavam na operação e mais duas testemunhas que prestaram depoimento à delegada.

O inquérito foi remetido à justiça e a prisão preventiva do militar está nas mãos de um juiz. O sargento foi indiciado por homicídio qualificado, sem chance de defesa da vítima.

Enquanto isso, na corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS), corre um procedimento administrativo sobre o caso. Miguel Furtado está afastado das atividades de rua e cumpre trabalho administrativo no batalhão da PM na cidade de Custódia.

Mais Lidas