DEBATE

A nova onda dos remédios no debate desta sexta-feira

Os convidados falaram sobre os medicamentos, benefícios e efeitos colaterais

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 11/09/2015 às 14:05
Leitura:
Foto: Marcella Falcão | Rádio Jornal


O debate da Super Manhã desta sexta-feira (11), teve como tema “a nova onda de remédios”. O comunicador Geraldo Freire recebeu no estúdio da Rádio Jornal, o endocrinologista Ney Cavalcante, o cardiologista Edgar Pessoa de Melo e o farmacêutico Arquimedes.

Em pauta, a evolução dos medicamentos e cuidados com a saúde. Abrindo o debate, Geraldo trouxe para o debate os efeitos colaterais de alguns remédios e a preocupação com certas prescrições. O cardiologista Edgar Pessoa de Melo falou sobre alguns tipos de drogas como as estatinas, que foram consideradas as “drogas do século”, pelo impacto na redução da morbidade e mortalidade cardiovascular. “Um terço das pessoas morrem de doenças cardiovascular e nós sabemos que quem leva essa grande mortalidade é uma doença chamada arteriosclerose, que é uma consequência de depósito de colesterol nas artérias, que vão obstruindo levanto ao infarto e outras doenças”, alertou.

De acordo com o cardiologista, trina por cento da população morre doença cardiovascular. “O impacto da estatina nesse componente de pessoas susceptíveis a morte cardiovascular se beneficia enormemente com as estatinas (..) que provocam como efeitos colaterais dores muscular, mas a incidência é muito pequena”, completou. O médico falou ainda que as pessoas ficam assustadas com a possibilidade do efeito colateral, mas que existem vários tipos de estatinas, todas com o mesmo objetivo, que é reduzir o colesterol e as complicações da arteriosclerose.

O endocrinologista Ney Maranhão também falou sobre o uso das estatinas, levante em consideração o custo-benefício e fatores de risco, como sedentariedade, tabagismo e diabetes. Além disso, o endocrinologista falou sobre a reposição hormonal para o homem.

Confira o debate na íntegra:

Mais Lidas