DEBATE

As mudanças na Igreja Católica e os limites do Papa Francisco no debate desta segunda-feira

Os convidados de Geraldo Freire discutiram as recentes manifestações do Papa e a reconquista dos fiéis

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/09/2015 às 17:49
Leitura:
Foto: Rádio Jornal


No debate da Super Manhã desta segunda-feira (14), o comunicador Geraldo Freire recebeu no estúdio da Rádio Jornal os professores de história José Nivaldo Junior e Fernando Antônio Gonçalves, e o padre afastado e psicólogo João Carlos Santana. Em pauta, os limites do Papa Francisco. Os convidados falaram sobre as recentes declarações do papa e as mudanças atuais na Igreja Católica.

O professor Fernando Antônio Gonçalves citou admiração pelo Para Francisco. Ele falou ainda sobre os papas João Paulo II e Bento XVI. O professor comentou alguns comportamentos de Francisco, e que isso têm manifestado alguns posicionamentos de reconquistas de clientela. “As manifestações dele são extraordinárias”, falou. Entre as citações, está a anulação dos casamentos. “O Vaticano necessita desbolorar [os processos], agilizar e dar atenção aos menos favorecidos” conclui.

Foto: Reprodução


Para José Nivaldo Junior existem muitas maneiras de abordar o papa e duas são fundamentais: uma é de dentro para fora e outra é de fora para dentro. “Qual é a de dentro para fora: é a visão dos católicos, daqueles que seguem a orientação espiritual do papa. Esses têm uma determinada leitura de tudo que o papa diz, inclusive em matéria de práticas religiosas e de fé. Essa visão não me interessa porque não sou católico. De fora para dentro, a visão é qual o papel que papa – figura pública – exerce no mundo?”, questiona. Segundo o professor, no mundo cristão, a atitude “marketeira” do papa, uma atitude que expressa orientação pessoal e, até para os membros, tem influência.

Confira o debate na íntegra:

Mais Lidas