METRÔ

Mesmo com reforço na segurança, passageira denuncia arrastão na estação Cavaleiro

Insegurança no modal é queixa frequente dos usuários. Em um dos casos registrados, dois suspeitos foram mortos

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 16/09/2015 às 15:15
Leitura:
Foto: Lélia Perlim/ Rádio Jornal


Começaram a atuar na tarde desta quarta-feira (16) os seguranças que vão reforçar o trabalho no metrô do Recife. De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) serão 60 profissionais terceirizados espalhados pelas 29 estações do metrô das linhas Centro e Sul.

A atuação desses profissionais chega em um momento em que os registros de furtos e assaltos superam os números de todo o ano passado, com 103 casos registrados.

Os detalhes no flash de Lélia Perlim:

Na Estação Central do Metrô a reportagem observou a presença de seis profissionais espalhados pela plataforma. No entanto, os passageiros que chegam de outras estações afirmam que ainda não viram nenhum desses profissionais.

A técnica em administração, Josilene Pereira, relatou que no início desta tarde presenciou uma correria na Estação Cavaleiro. “Teve tipo um arrastão dentro do metrô. Não ficou ninguém”, afirmou a mulher que estava bastante nervosa e confirmou que não viu nenhum segurança.

Entre as ações criminosas registradas este ano, uma terminou com dois suspeitos mortos dentro do vagão, na Estação Largo da Paz. Circulam diariamente pelo metrô do Recife, 400 mil usuários, 280 mil na linha Centro e os outros 120 na linha Sul.

Mais Lidas