INVESTIGAÇÕES

Mãe biológica nega venda de bebê e diz que R$ 2.500 pagos por goiana foram gastos no parto

A pernambucana prestou depoimento à Polícia e disse que deu a criança por não ter condições de criar. Ela afirmou ainda que quer a criança de volta.

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 17/09/2015 às 6:38
Leitura:
Dian Karla Batista Gonçalves está presa por ter tentado comprar a criança. Foto: reprodução/Polícia Civil


A mulher, que não terá o nome divulgado, prestou depoimento à polícia por cerca de uma hora em Surubim, no Agreste do Estado, nesta quarta-feira (16). O depoimento aconteceu cerca de uma semana depois da Polícia desconfiar que um recém-nascido teria sido vendido por R$ 2.500.

No outro lado da negociação estaria a comerciante Dian Karla Batista Gonçalves, de 29 anos, que permanece presa na cidade de Manaçu, no norte do estado de Goiás. O menino, com pouco mais de 15 dias de vida, continua sob responsabilidade do Conselho Tutelar.

Em depoimento à Polícia, a mãe biológica afirmou que estava disposta a dar a criança por não ter condições financeiras de criá-la. Ela disse ainda que teve contatos com famílias do Rio de Janeiro, São Paulo e da Bahia. Segundo ela, os R$ 2.500 entregues pela autônoma de Goiás foram gastos com despesas no pré-natal e no parto.

A mãe biológica do recém-nascido afirmou que continua com a consciência tranquila e admitiu interesse em ter a criança de volta. Em entrevista concedida à TV Asa Branca, afiliada à Globo, a mulher diz que escolheu a goiana porque queria manter contato com a criança. "Queria voltar um mês atrás e ter desistido de tudo":

A transcrição do depoimento da mãe biológica em Pernambuco será encaminhada para a Polícia Civil de Goiás, que está realizando as investigações. Enquanto isso, Dian Karla Batista Gonçalves vai responder por vários crimes, entre os quais por tentativa de falsidade ideológica, já que tentou se passar pela mãe biológica da criança.

Mais Lidas