FINAL FELIZ

Arquiteta desaparecida no Recife foi encontrada com ajuda do Disque Denúncia

Núria deu à luz a uma menina de 2,350kg e 47 centímetros. Mãe e filha passam bem e vão voltar ao Mato Grosso

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 22/09/2015 às 15:37
Leitura:

Reportagem de Rafael Carneiro

O mistério do desaparecimento da arquiteta Núria Babyane Alves da Silva, de 30 anos, foi esclarecido. Ela escondia uma gravidez de 9 meses e entrou em trabalho de parto no dia do sumiço que intrigou amigos e conhecidos. O destino de Núria começou a ser descoberto a partir de uma ligação do Disque Denúncia.

A informação dizia que uma mulher com as mesmas características estava no 5º andar do Hospital Barão de Lucena, onde deu à luz por meio de parto normal, a uma menina de mais de 2 quilos e 47 centímetros.

A reportagem de Rafael Carneiro traz as informações:

No local, a equipe da delegada recebeu a informação de que Núria teve alta e deixou o hospital com a criança no colo. Dando início a busca de mãe e filha já que havia a suspeita de crime.

Horas depois, a arquiteta e a bebezinha foram localizadas no Conselho Tutelar do Recife com estado emocional fragilizado. Lá falou o motivo do desaparecimento, como explica Gleide Ângelo, titular da Delegacia de Desaparecidos. "Ela não achou que estava em trabalho de parto. Ela sentiu uma dor, foi justamente quando ela saiu do escritório, ela foi pra casa e começou a sentir cólica, então ela foi no [Hospital] Barão de Lucena", detalhou. A mulher ficou internada durante uma semana, por conta de uma infecção.

O conselheiro tutelar Talles Pitter, que procurou de imediato Gleide Ângelo, contou que a mãe estava desorientada. "Em nenhum momento eu percebi que ela queria doar o filho", defendeu a mulher, o conselheiro tutelar. Acolhidas por sócios e amigos, as duas foram para casa passam bem. Ainda nesta terça-feira (22), Núria vai ser ouvida oficialmente em casa, para confirmar a versão apresentada.

Mais Lidas