CONFUSÃO

Tumulto no Complexo do Curado deixa um morador das proximidades morto

Ricardo era morador da comunidade do Alto da Bela Vista, no Totó, e tinha a casa localizada a cerca de 300 metros do presídio Frei Damião de Bozzano, de onde teriam saído os tiros de fuzil que o atingiram nesse domingo (27)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 27/09/2015 às 16:04
Leitura:
A confusão no Frei Damião de Bozzano deixou os parentes dos detentos aflitos
Foto: Lélia Perlim/Rádio Jornal


Um princípio de rebelião no presídio Frei Damião de Bozzano, que faz parte do Complexo Prisional do Curado, na Zona Oeste do Recife, terminou com dois detentos feridos e um morador das proximidades morto, supostamente após ser atingido por bala perdida. A confusão começou por volta das 6h desse domingo (27), minutos antes da abertura dos portões para o horário de visitas.

A Secretaria de Ressocialização ainda apura as causas, mas entre os parentes dos presos há duas versões para o confronto. A primeira aponta para a tentativa de retirada de um reeducando da ala disciplinar, por parte de outros detentos - ação que foi impedida pelos agentes. Na outra versão, internos de pavilhões diferentes teriam brigado pela posse de um “pacote”, daqueles arremessados de forma ilegal por cima do muro.

Os dois detentos baleados, José Carlos Serafim e Mário Francisco Nascimento, foram encaminhados para o Hospital Otávio de Freitas, no Sancho, onde passaram por cirurgia e seguem internados em observação. Na mesma manhã deu entrada na unidade de saúde, o ambulante Ricardo Alves da Silva, de 32 anos. Devido à gravidade dos ferimentos no rosto, ele foi transferido para o Hospital da Restauração, no Derby, onde veio a óbito.

A movimentação na casa da vítima foi grande depois que ela foi baleada
Foto: Tato Rocha/JC Imagem

Ricardo era morador da comunidade do Alto da Bela Vista, no Totó, e tinha a casa localizada a cerca de 300 metros do presídio Frei Damião de Bozzano, de onde teriam saído os tiros de fuzil que o atingiram nesse domingo (27). De acordo com o delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Joaquim Braga, ainda é cedo para determinar os culpados pelo crime:



Por causa da morte de Ricardo, moradores da comunidade atearam fogo em pneus, bloqueando o acesso ao antigo presídio Aníbal Bruno e à BR-232, o que gerou grande engarrafamento nos dois sentidos da rodovia. Um dos momentos de tensão registrados ocorreu quando um motorista, que estava armado, efetuou disparos para cima, provocando o pânico nos presentes. Minutos depois, antes do fim da manhã, as vias já tinham sido liberadas, sem maiores incidentes.

Em protesto pelo ocorrido, os moradores do local travaram a BR-232
Foto: Tato Rocha/JC Imagem


A Secretaria de Ressocialização informou que vai abrir uma sindicância para apurar as causas da confusão no presídio, que abriga 1800 homens. Ao todo, o Complexo Prisional do Curado tem uma população carcerária de sete mil presos em um espaço designado para apenas 1900 detentos.

Mais Lidas