ECONOMIA

Alepe discute pacote de ajuste fiscal proposto pelo governador Paulo Câmara

Governo do Estado estima que, por meio dessas medidas, possa arrecadar R$ 487 milhões por ano

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/09/2015 às 15:13
Leitura:


Os deputados estaduais discutem na tarde desta segunda-feira (28) no plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) os seis projetos que compõem o pacote de ajuste fiscal proposto pelo governador Paulo Câmara. As propostas que alteram impostos como ICMS e IPVA tramitam em regime de urgência e, para serem postas em prática já em janeiro de 2016, precisam ser aprovadas e sancionadas até o dia 30 deste mês.

Na manhã desta segunda-feira (28), as medidas foram apreciadas em uma nova reunião extraordinária conjunta das Comissões de Constituição, Legislação e Justiça; Finanças, Orçamento e Tributação; e Administração Pública e Desenvolvimento Econômico.

Uma sessão como essa já tinha sido realizada na semana passada, quando as propostas foram aprovadas por essas comissões.

As propostas de emendas aos projetos do governo, apresentadas pela oposição também vão ser analisadas. A bancada pede que o pacote seja provisório, com duração de um ano, prorrogável por mais um; que seja rejeitado o aumento do ICMS da gasolina e que sejam criadas mais faixas para a cobrança do IPVA sobre os automóveis. O líder da oposição, deputado Sílvio Costa Filho, do PTB, detalha esse posicionamento do grupo. "Desde o primeiro momento nós fechamos contra o aumento de impostos, o aumento da gasolina e o aumento das telecomunicações, por que isso vai gerar além de mais impostos para os pernambucanos, aumenta a inflação no nosso Estado e, paralelamente, diminui o poder de comprar dos pernambucanos", disse.

O deputado ainda explica quais os próximos passos caso os projetos sejam aprovados hoje. Confira os detalhes na reportagem de Lélia Perlim:

O governo do Estado estima que, por meio dessas medidas, possa arrecadar R$ 487 milhões por ano.

Mais Lidas