CONSULTÓRIO

As novas regras para a reprodução assistida no Consultório de Graça

Apesar das novas normas de fertilização, gravidez após os 50 ainda é arriscada

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/09/2015 às 0:18
Leitura:
Foto: Marcelo Barreto/Rádio Jornal

De acordo com as novas regras divulgadas pelo CFM na terça-feira (22), as mulheres com mais de 50 anos não precisam mais de autorização dos conselhos de medicina para fazer o tratamento para engravidar, porém, precisam assumir junto com os médicos os riscos da fertilização in vitro. Para discutir o assunto, a jornalista Graça Araújo, recebeu os ginecologistas Armínio Collier e Madalena Caldas.

A nova medida vale tanto para o setor público, como o privado. “A mulher hoje aos 50 anos ela tem uma qualidade de vida, ela tem uma saúde muito diferente do que se tinha no passado. Quando eu era residente eu me lembro que a gravidez de alto risco se dava nas mulheres acima de 35 anos”, explica a ginecologista Madalena Caldas.

O ginecologista Armínio Collier, comenta os avanços implantados pela nova medida. “A avaliação se a paciente têm condições de gestar é uma decisão médica. Estava sendo ‘bitolada’ pelo conselho e graças a Deus abriram isso para ser uma decisão do médico e não de um conselho, que muitas vezes não tem uma vivência”, afirma.

Ouça o áudio na íntegra:

Mais Lidas