VIOLÊNCIA

Estudantes da UFPE protestam contra onda de violência na Cidade Universitária

Para as mulheres, a situação é ainda pior. Um mês atrás, uma estudante de biomedicina deixou o curso após ser estuprada

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 30/09/2015 às 7:49
Leitura:
Foto: JC Imagem

No escuro, o ambiente é propício ao crime. Ao andar pelo campus da Universidade Federal de Pernambuco à noite, a sensação de medo é gritante. Os casos de violência são recorrentes na região que abriga a instituição de ensino. A UFPE está localizada às margens da BR-101, na Cidade Universitária, ao lado do Colégio Militar do Recife.

Uma estudante, que não quis se identificar, conversou com a reportagem da Rádio Jornal e contou como a insegurança prejudica as aulas. Saiba mais na reportagem de Artur Ferraz:

Para as mulheres, a situação é ainda pior. A falta de iluminação e o policiamento insuficiente facilitam as práticas de estupro e abuso sexual. No mês passado, uma jovem de 19 anos foi assaltada e estuprada num terreno baldio onde fica a antena da rádio universitária. Ela estudava biomedicina na federal e trancou o curso depois do ocorrido.

O episódio motivou um grupo de estudantes a organizar um protesto para esta quarta-feira (30). O ato está previsto para começar ao meio-dia, na frente do Restaurante Universitário.

Alunos e funcionários da universidade devem seguir em direção à reitoria. Lá, eles esperam ser recebidos pelo reitor Anísio Brasileiro.

Em nota, a UFPE informou que 193 vigilantes terceirizados e 300 servidores federais atuam na segurança dos três campi da instituição.

Mais Lidas