CORRUPÇÃO

Polícia Federal determina afastamento de prefeito de Glória do Goitá

A Polícia Federal teve acesso às provas que motivaram o afastamento a partir da “Operação Carona”

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 02/10/2015 às 14:41
Leitura:
Foto: Facebook/ Glória de Goitá

A Polícia Federal em Pernambuco determinou o afastamento do prefeito de Glória de Goitá, na Zona da Mata Norte do Estado. Zenildo Miranda Vieira foi intimado a comparecer na sede da Polícia Federal, na última quarta-feira (30), após serem apreendidos extratos de conta corrente e escrituras de imóveis na residência dele.

Esses documentos estavam todos em nome de um agricultor conhecido por “Zé da Banana”, que já teria sido funcionário do prefeito. Tanto o prefeito como o agricultor foram interrogados e indiciados pela prática do crime de lavagem de dinheiro.

Segundo a assessoria de comunicação da Polícia Federal, o prefeito não soube explicar a razão desses depósitos em contas de terceiros que chegaram ao valor de mais de R$ 2 milhões. Ainda segundo a polícia, quando um chefe de executivo é indicado por qualquer crime desta natureza o afastamento já é previsto por lei, como explicou o assessor de comunicação da Polícia Federal, Giovani Santoro.

Confira os detalhes no flash de Cibelly Melo:

A Polícia Federal teve acesso a essas provas através do “Operação Carona”, deflagrada em conjunto com a Controladoria Geral da União. A operação foi realizada para reprimir crimes de fraudes na contratação de empresas prestadoras de transporte escolar utilizando para isso verbas públicas, em especial do programa nacional de apoio ao transporte escolar do ministério da educação.

O foco da operação são as empresas A.R. Resendis e A.G. Serviços que teriam recebido de forma fraudulenta nos últimos quatro anos, valores acima de R$ 50 milhões. Além de Glória do Goitá as prefeituras de Limoeiro e Passira, no Agreste do Estado também estão investigadas.

Mais Lidas