CORRUPÇÃO

Vice assume gestão de Glória do Goitá, após prefeito ser afastado por lavagem de dinheiro

Solenidade acontece nesta segunda e novo prefeito afirma que irá priorizar saúde e educação

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 05/10/2015 às 15:44
Leitura:

O vice-prefeito de Glória do Goitá, na Zona da Mata Norte do Estado, Manoel Texeira, do PSC, toma posse como prefeito às 19h, desta segunda-feira (5). A solenidade vai ser realizada na Câmara Municipal de Vereadores.

A medida foi tomada após a Polícia Federal entregar um ofício ao presidente da Câmara de Vereadores da cidade, Lívio Martins, exigindo o afastamento do prefeito Zenildo Miranda Vieira, do PTB, na última quinta-feira (1º).

De acordo com a polícia, ele foi indiciado pelo crime de lavagem de dinheiro. O caso veio à tona a partir da investigação de um processo de licitação fraudulento para contratação de serviços de transporte escolar.

Confira os detalhes na reportagem de Pedro Souza:

O vice-prefeito, Manoel Texeira, que é rompido com Zenildo há dois anos, fala sobre quais serão as prioridades na gestão. “A prioridade na área da saúde, que aqui está defasada. Só tem uma ambulância funcionando. Trabalhar para poder trazer um bom desenvolvimento na área da saúde e da educação que está uma calamidade”, destacou.

Sobre as investigações realizadas pela Polícia Federal, a vereadora da bancada de oposição, Luiza Nery, do PSB, ressalta que já estava fiscalizando o prefeito. “Chamamos tanto a secretária de saúde quando o secretário de educação para a câmara para prestar esclarecimento”, afirmou.

Com a posse do novo gestor, a atual equipe de secretários de Glória de Goitá será imediatamente substituída, como afirmou o prefeito Manoel Teixeira.

Após a deflagração da “Operação Carona”, teve início a análise de todo o material apreendido. Na residência de Zenildo, foram apreendidos extratos de conta corrente e escrituras de imóveis, todos em nome do agricultor que já foi seu caseiro, conhecido por “Zé da Banana”.

Suspeitando de lavagem dinheiro, a Polícia Federal formulou pedido de consulta ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras para detectar movimentações suspeitas, tendo revelado uma movimentação de quase um R$ 1,5 milhão por parte do agricultor nos últimos dois anos.

A quantia foi comprovada incompatível com a renda bruta do agricultor, que é de R$ 964. Além de Glória do Goitá, as prefeituras de limoeiro e Passira, no Agreste do Estado, também estão sendo investigadas pela "Operação Carona".

Mais Lidas