POLÍTICA

Políticos de Pernambuco comentam rejeição das contas de Dilma pelo TCU

No programa Movimento, o comunicador Marcelo Araújo falou com Mendonça Filho (DEM) e Humberto Costa (PT)

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 07/10/2015 às 22:43
Leitura:

Por unanimidade, o Tribunal de Contas da União (TCU) votou pela rejeição das contas de 2014 do governo Dilma Rousseff. A votação foi realizada na noite desta quarta-feira (7), em Brasília. É a primeira vez na história que um presidente da República tem as contas reprovadas pelo órgão.

Logo após a decisão do TCU, o senador Humberto Costa (PT) e o deputado federal Mendonça Filho (DEM) conversaram, por telefone, com o comunicador Marcelo Araújo, no programa Movimento.

O líder do PT no Senado lembrou que a rejeição ou aprovação das contas de um governo é prerrogativa do Congresso Nacional, e não do TCU, que tem um caráter consultivo. Para ele, o parecer do órgão sofreu forte influência política. “Os argumentos que o governo apresentou são todos plausíveis, principalmente as supostas irregularidades cometidas foram praticadas por todos os governos que nos antecederam”, comentou.

Já o líder do Democratas na Câmara classificou a decisão como “importante do ponto de vista histórico” e destacou os problemas atuais das finanças do Estado brasileiro. “O Tribunal decidiu por um parecer que rejeita tecnicamente as contas da presidente Dilma com relação ao exercício de 2014, tendo em vista não só as pedaladas de R$ 40 bi, mas outras questões negativas das suas contas que totalizam mais de R$ 100 bi”, disse.

Ouça as entrevistas:

O programa também contou com a participação do cientista político Michel Zaidan, que é professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Ouça a análise:

Mais Lidas