DEBATE

"Como a crise econômica afeta a vida do consumidor", é o tema do debate desta terça-feira

Saiba dicas de como se defender dos abusos diante da crise econômica e como os brasileiros estão reagindo a ela

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 13/10/2015 às 15:20
Leitura:

O tema do debate do programa Super Manhã desta terça-feira (13) foi "Como a crise econômica afeta a vida do consumidor".

Saiba dicas de como se defender dos abusos diante da crise, na conversa entre Geraldo Freire, o presidente do Instituto Data Popular, Renato Meirelles, o gerente Jurídico do Procon-PE, Roberto Campos, o delegado do Consumidor, Roberto Wanderley, e o advogado do Consumidor, Raimundo Gomes de Barros.

Um dos nossos convidados, Renato Meirelles, alega que a nova classe média brasileira, tem uma estimativa de rendimento mensal de R$ 1.200, por pessoa da família. Ainda de acordo com Renato Meirelles ,só 5% das famílias com quatro pessoas no Brasil ganha mais de R$ 10 mil, se caracterizando em classe alta. Sobre a crise, o entrevistado alega que a crise econômica ainda não é o que mais amedronta os brasileiros.

"Sabe qual é a maior crise hoje da população? É crise de perspectiva. O problema não é tanto a situação política, mas é a população não ver a luz no fim do túnel. E por não enxergar luz no fim do túnel a população fica muito mal humorada e com razão", disse Renato.

Renato, que é especialista em mercado popular, fala sobre a reação dos brasileiros com as crises."A população está muito frustrada com o ritmo do Brasil. Eles acham que o governo não está entregando o que deveria entregar. A presidente Dilma Rousseff foi eleita a primeira vez por dois motivos: pela popularidade do presidente Lula e porque ela complementava o presidente em uma série de outros aspectos, ela era técnica. Agora, o que reelegeu a presidente Dilma foi um projeto de país. Um projeto que defende financiamento da educação, como Prouni e Fies. Porém, esse projeto que a população elegeu, ainda não saiu do papel e a população está frustrada com isso."

Sobre o atual momento da política, o presidente do Instituto Data Popular acredita que o ex-presidente Lula não foi muito impactado. "O presidente Lula indicou a presidente Dilma, por isso ele sofre o desgaste com a baixa popularidade da presidente. Porém, ele é a última lembrança da população de um político que governou o país quando ele crescia e dava certo. Se por um lado, ele tem uma queda de popularidade por isso. Por outro lado, quando a gente pergunta para as pessoas: "Quem pode fazer algo diferente pelo país?" Lula é o mais bem citado.", disse.

Ouça, abaixo, o debate completo:

Mais Lidas