RECIFE

Todas as RPAs teriam apresentado irregularidades nas eleições para conselheiros tutelares

O processo eletivo da capital pernambucana está sendo alvo de uma série de denúncias por parte dos candidatos e eleitores

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 13/10/2015 às 14:55
Leitura:
Foto: Rádio Jornal

O processo eletivo para escolher os futuros conselheiros tutelares do Recife, comandado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) e fiscalizado pelo Ministério Público de Pernambuco, está sendo alvo de uma série de denúncias de irregularidades por parte dos candidatos e eleitores.

Os denunciantes buscam a anulação do processo, pois o entendem como fraudado. Os órgãos responsáveis não teriam tomado qualquer medida para o cancelamento da eleição sob o pretexto de que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) não emprestaria novamente as urnas para realização de um novo processo.

"Primeiro, eles infringiram o edital. Os mesários, os fiscais, a sessão de apuração dos votos, foram pessoas terceirizadas e de cargos comissionados, e não pode acontecer isso. Tinha que ser funcionário público. Nenhuma urna aberta batia com o número de assinaturas. Ou seja, a comissão eleitoral sugeriu aos pré-candidatos aceitarem uma margem de 5% de erro e de acerto. O que quer dizer isso? Quando abrir a urna, se tem 10 assinaturas, deveria ter 10 cédulas. Nenhuma urna da cidade do Recife batia com o número de assinaturas. Ou tinha 10 assinaturas e 13 votos, ou 10 assinaturas e 8 votos”, detalhou a conselheira tutelar, Chanene Almeida, explica as irregularidades que aconteceram no processo eleitoral.

Confira os detalhes na reportagem de Pedro Souza:

As denúncias atingem desde o processo seletivo de candidatos, passam pelo transporte e conservação das urnas e vão até a desconfiança de mesas receptoras e mesas apuradas. Os denunciantes ainda apontam que o Comdica teria colocado servidores comissionados e terceirizados, alguns ligados a vereadores da base governista e secretários, interessados na eleição de candidatos específicos.

Chanene almeida conta que as irregularidades aconteceram em todos os locais do Recife. “Aconteceram essas irregularidades em todas as RPAs, Região Político Administrativa”, disse.

Todo o material coletado pelos denunciantes vai ser levado à corregedoria do Ministério Público, ao Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, à Secretaria Nacional de Direitos Humanos e à Polícia Federal. Com isso, eles buscam a anulação do processo eleitoral.

Mais Lidas