TRÁFICO

Estrangeiros são presos suspeitos de explodir o próprio barco para esconder drogas

O inglês Paul Anthony Coe, de 47 anos, e o grego Georgios Stefanis, de 53, estão presos no Cotel

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 20/10/2015 às 14:17
Leitura:
Veleiro River Baby
Foto: Divulgação/ Polícia Federal

O inglês Paul Anthony Coe, de 47 anos, e o grego Georgios Stefanis, de 53, foram presos, no último domingo (20) pela Polícia Federal em Pernambuco depois que a embarcação que comandavam, um veleiro de bandeira inglesa, explodiu em alto mar, próximo ao arquipélago de Fernando de Noronha. Eles são suspeitos de incendiar a própria embarcação, colocando em perigo a vida de outras pessoas.

De acordo com a polícia, o veleiro River Baby era monitorado desde a participação dos tripulantes na regata Recife-Fernando de Noronha, no dia 26 de setembro. O comportamento dos estrangeiros chamou a atenção da polícia, que desconfiou do envolvimento dos homens com o tráfico internacional de drogas.

O River Baby saiu do Porto do Recife no dia 15 de outubro, com destino à África. Porém, depois da parada em Fernando de Noronha, satélites detectaram que o barco mudou a rota e seguia para a Europa. Foi quando a Marinha do Brasil foi chamada para interceptar o veleiro.

Confira os detalhes na matéria de Clarissa Siqueira:

O Capitão de Mar e Guerra, Luiz Cláudio Lázaro Dias, detalha como foi a abordagem ao navio e o traslado para o Recife, quando houve a explosão. "Foram feitas inspeções nesse navio, nos compartimentos, nos tanques, e não foi identificado nenhum material suspeito. Entretanto, foi visto, no momento, que algumas obras estruturais haviam sido feitas no navio, e, com isso, havia a necessidade de uma inspeção mais minuciosa”, disse. “Dessa forma, a polícia federal solicitou à marinha que o navio fosse novamente guiado à Recife para que fosse feita uma inspeção mais minuciosa na embarcação. Logo em seguida, um dos tripulantes solicitou que fosse partido o motor do veleiro, e nessa partida do motor ocorreu um incêndio”, detalhou, dizendo que após todos abandoarem a embarcação, a mesma explodiu.

A capitania dos portos de Pernambuco instaurou inquérito sobre o fato, que deve ser concluído em 90 dias. Segundo a delegada regional de controle ao crime organizado, Claudia Patrícia, a polícia investiga se o incêndio foi mesmo praticado pelos estrangeiros. Segundo a delegada, os destroços do veleiro serão recuperados.

Paul Anthony Coe e Georgios Stefanis foram encaminhados para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife.

Mais Lidas