ENEM

Marco Feliciano diz que Enem está querendo doutrinar estudantes ao feminismo

Segundo o deputado, o Ministério da Educação está querendo empurrar de goela abaixo a teoria do gênero nos estudantes

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/10/2015 às 7:48
Leitura:
Foto: Zeca Ribeiro/ Câmara dos Deputados

A prova do Enem deste fim de semana ressucitou a filósofa e feminista francesa Simone de Beauvoir, mulher do célebre existencialista Jean-Paul Sartre, despertou a ira de conservadores, e levou os candidatos a refletirem sobre o pensamento: "Não se nasce mulher, torna-se mulher".

Alguns filósofos fazem um afago na mulher de Sartre, dizendo que a mulher se forma dentro de uma cultura que define que papel ela vai desempenhar na sociedade. Para o pastor evangélico e deputado federal Marco Feliciano, do Partido Social Cristão, de São Paulo, o Enem está querendo doutrinar os estudantes para abordar o tema do feminismo. Feliciano reclama que a frase da filósofa francesa aparece
no texto do Enem sem muita contextualização, e que o Ministério da Educação está querendo empurrar de goela abaixo a teoria do gênero nos mais de 7 milhões de estudantes.

O ministro da educação nega. Aloízio Mercadante disse que só tomou conhecimento da prova quando foi publicada pela imprensa, e destacou o papel da filósofa feminista Simone de Beavoir. Confira os detalhes na matéria de Romoaldo de Souza, direto de Brasília:

Além da polêmica das provas do sábado, neste domingo, o tema relacionado ao feminismo voltou a prova com o tema da redação: "A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira".

Mais Lidas