SECA

Obra da Compesa garantirá água de Jucazinho apenas para os próximos quatro meses no Agreste

Companhia irá explorar volume morto da barragem, localizada em Surubim

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 26/10/2015 às 15:55
Leitura:
Foto: Internet


Para reduzir o impacto causado pela pior estiagem dos últimos 50 anos do Nordeste, a Compesa vai começar a explorar o volume morto da barragem de Jucazinho, em Surubim, no Agreste. Uma captação por meio de bombas submersas está sendo instalada para conseguir captar a água restante da barragem, que hoje está acumulando 2,56% de sua capacidade total, que é de 327 milhões de metros cúbicos

O sistema emergencial para exploração do volume morto de Jucazinho tornará possível a retirada de 250 litros de água por segundo, o que vai garantir o abastecimento das 12 cidades assistidas pela barragem, pelo menos até nos próximos 4 meses.

Confira os flashes de Giovani Santos e de Jaciara Fernandes:

O investimento para execução dessa obra é de R$ 1.300 milhão, os recursos são provenientes do governo do estado e fazem parte do Fundo para Obras Emergenciais de Combate à Seca.

O engenheiro Marcone Azevedo, diretor regional do interior da Compesa, adiantou que por, aproximadamente, mais quatro meses, a água acumulada garantirá o abastecimento de 12 cidades atendidas por Jucazinho. Ele disse que previsão para a conclusão das obras é de 15 dias. Enquanto durar a obra, as cidades serão abastecidas exclusivamente por caminhões pipa. A população sofre para conseguir água, até aqueles que tem reservatório.

Mesmo que não chova e a situação da chuva se agrave, a Compesa garante abastecimento para a população já prevendo o ano de 2016.

A barragem de Jucazinho atende os municípios de Cumaru, Passira, Riacho das Almas, Santa Cruz do Capibaribe, Salgadinho, Surubim, Casinhas, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Vertentes e Toritama, além do distrito de Ameixas.

Mais Lidas